Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

27 de julho de 2012

Poemas de Ubirajara Mello de Almeida


O Mito e a Fenda 

Ubirajara Mello de Almeida 

Por sobre a sombra,
Angústia  de  sopro em  gestação,
Desata-se o nó dos sentidos
Sentimento  próximo  ao pó
Primeira visão única e tardia
Na  decomposição perfumada
De uivos solitários.

                                     Por que a  alucinação
                                     Profética de vozes prematuras
                                     No  espaço tísico de criaturas
                                     Imprevisíveis e passado oco?
                                     Quero o limite da pele
                                     Dos sonhos pervertidos
                                     Na inquietação  rubra

Sobre a proeminência do azul
Na travessia  da  fé em agonia
Intumescida  de paisagens mortas
Na bruma  das manhãs  cinzas,
Dilúvio  de passos,  pedras, pássaros
E imprecisão  de cores.

2 comentários:

  1. Parabéns pelo seu Círculo pleno de cultura poética!
    Agradeço por sua visita e participação no nosso Bestiário.
    Abraços!

    ResponderExcluir