Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

4 de outubro de 2012

MEUS POEMAS


Golpes/galopes


Iremar Marinho


Uma faca
vertical
(raio
do sol)
parte o dia
em quatro cantos

Bate no peito
(a galope)
o martelo
alagoano

A faca do sol
(a golpes)
parte a vida
em quantos prantos?



Repique 


Iremar Marinho

Para Joana Gajuru, Mestre Eurico e Manoel da Marinheira, artistas do povo

tam-bô-tam-bô-tam-bô-tam-bô-tam-bô-tam 
bô-tam-bô-tam-tam-tam-tam-tam-bô-tam-bô 
tam-bô-tam-bô-tam-bô-tam-bô-tam-bô-tam 
bô-tam-tam-tam-bô-tam-tam-tam-bô-tam-bô 

- Pisa! 

Dona Celsa vive 

e domina o Guerreiro de São José.


Deus vos salve, Mestra Santa.




Dois poetas vão ao Paraíso

Iremar Marinho


Dois poetas foram
a Nova York e Washington,
beber coca-cola
e sentir o cheiro de dólar.

Divertiram-se no Central Park
e correram dos ratos de Manhattan.

Registraram a passagem
nas metrópoles, 
vomitando poemas de êxtase.

Em holocausto,
pularam da Golden Gate.

Foram ignorados
no Time e no Post.