Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

29 de junho de 2012


Cantata para Mario Faustino

Ubirajara Mello de Almeida

Subia, etéreo, estava em desvantagem,
usava toda química do delírio
mesmo sem túnica ia contra a aragem
e seguia em vão o discurso de um rio.

Ao ver-me nesse estado: é desvario...
Ou descompasso suicida da imagem?
Pregado numa cruz, à beira do martírio,
um quadro vivo agônico da paisagem.

Cantava, era o contraponto ao choro
dos fiéis, a duas vozes, em coro
na procissão dos que vão aos céus.

Numa cena perfeita de Brueghel,
o trumpetisdta preferiu um flugel
e a cortejo desfilava já sem véus.

5 comentários:

  1. Excelente lenguaje poético. Felicitaciones poeta. Alagoas es cuna de buenos escritores

    ResponderExcluir
  2. Mui grato, Víctor por las felicitaciones ao poeta Ubirajara Mello e a nuestra Alagoas

    ResponderExcluir
  3. Ubirajara Mello de Almeida (no Facebook): Caríssimo Iremar Marinho, sinto-me honrado pela publicação. Abs

    ResponderExcluir
  4. Vim agradecer a tua presença no meu blog e conhecer o teu.Já me instalei.Sei que daqui levarei um pouco da tua linda Alagoas.Forte abraço.Eloah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu blogo é maravilhoso. Sou muito grato por sua presença aqui e por sua apreciação da nossa Alagoas. Abraços. Iremar

      Excluir