Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

18 de setembro de 2010

Poetas alagoanos

Tentativa de poema e de tema

Norton Sarmento Filho

Não vou escrever agora o besteirol cotidiano.
Nem o alagoanol cacete e pedante das igrejinhas-rinhas,
Bem à moda do tempo da pedra ultralascada.
Nem tão pouco, ou muito, o provincianol sururuzeiro,
Em exibição cotidiana nos muros e extramuros, que saco!
Da cidadezinha ruidosamente calada
Dormente e blecautizada em pensamentos paralíticos.

Não vou escrever agora o bobo beletrol academicocêntrico.
Não vou me render jamais, mesmo em paz, à paranóia-pinóia,
Do meu torrão venal e caustral.
Mas só por pirraça, meus senhores e minhas senhoras,
uivo, uivo, uivo, uivo, uivo, uivo à verborragia...
Alagoense e sem fim
Da CTI do caos
Do caos da CTI
Tentativa de poema e outros temas,
Por amor – não temas!


Poema 5

Lúcia Guiomar Teixeira

Nas tardes da província
corsária dor afastadas as impotências
um jato um jeito
por tudo que é um gosto
após a posse
um encontro ou já incesto
com a boca toda verde
através dos ossos
através dos ócios
a noite cai
e a calma calma
silêncio
parêntesis
reticente aspa
harpa
interrogante exclamação
todo mar é azul
todo amar é
o olhar do cão azul
elmo azul
segredo


Lostkeeper

Fernando Fiúza

Coincidências, relógios, a morte do rei
carcaça de batel
pedradas nos patos do lago
da ninfa perversa de jeans
gelo, pacífico oceano, cabana ardente
o amor entre marido e mulher
os filhos promíscuos da tinta, tremores e papel
golfe, os buracos do jogo e do mundo
o conto de um conto de um canto de jornal
o tempo que passa entre as rodas dentro de rodas
21 rubis
cinco anos depois
uma noite quente de junho
Escócia
um caco de garrafa de gim
a sagração da primavera
que jamais virá
nem Liverpool
restos de comida no chão
laranjada
uma gota de sangue sequer
e a maneira mais triste
de um traste morrer.

12 comentários:

  1. Eita! Iremar, que desta vez, mais que
    de outras, botaste pra quebrar, viu?
    Como é bom ler e OUVIR A VOZ desses poetas. Muito bom mesmo! Sem açúcares e
    sem melaços...uma poesia FORTE E VERDADEIRA! Adorei.

    Um abração

    ResponderExcluir
  2. Eitcha! cirandeira,
    Estes da seleção aqui, como outros,
    de matizes mais criativos/demolidores,
    são da minha preferência especial.
    Mas, você sabe também,
    que há os de açúcares e melaços
    que são mestres da melhor
    poesia destes brasis.
    Lêdo, Jorge e Moliterno
    contam nesta vertente.
    Aguarde mais!
    Agradeço por seu apoio
    e entusiasmo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá Iremar
    Sempre é bom vir até aqui, como da primeira vez, é diferenciado o que se encontra no Bestiário ^^
    Abraços querido, te desejo uma ótima semana.


    "Palavras
    Gosto de brincar com elas.
    Tenho preguiça de ser sério."

    Manoel de Barros

    ResponderExcluir
  4. Olá, Sél,
    Sua presença me alegra,
    como dizem os galanteadores.
    E ainda citando Manoel de Barros,
    a semana começou ótima, e continua!
    Volte sempre com seus feedbacks poéticos!

    ResponderExcluir
  5. Olá..Iremar...teu blog é muito interessante..quero voltar sempre aqui...
    E dos poemas acima, quero ressaltar estas palavras:

    "Por amor – não temas!"

    Beijos..
    Mayrla

    ResponderExcluir
  6. Iremar meu caro!
    Nunca na história desta minha navegação pensei dizer isto; porém afirmo que estou triste demais da conta com sua ausência no meu humilde recinto. Eita saudade da peste esta vice! rss
    Abraços e muito axé
    da Sil

    ResponderExcluir
  7. Pinceladas vivas e fortes de quem sabe o que está fazendo.

    ResponderExcluir
  8. Meu blog mudou de endereço, o novo é:
    http://vemcaluisa.blogspot.com/
    :)

    ResponderExcluir
  9. UAU!
    Sou muito agradecido por suas cativantes
    palavras sobre este Bestiário de poemas.
    Norton Sarmento é mestre em suas
    eruditas e ágeis construções poéticas.
    Por amor - volte sempre aqui!

    ResponderExcluir
  10. Amigas Sil, Adriana e Vanessa, do mesmo modo que Mayrla, Maravilhas presenças de vocês, aqui,
    apreciando a boa poesia, e comentando.
    Vou explicar: tenho me ocupado em campanhas eleitorais, dormindo, quando muito, 2 horas por dia. Pensem! Deixem passar a eleição, que voltamos a navegar nesse mar da tranquilidade da net.
    Beijos e abraços!

    ResponderExcluir
  11. "Se você diz vem às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz."

    (Antoine de Saint-Exupery).

    ResponderExcluir
  12. Amiga Marisa,
    Que bom que você se adianta,
    na visita, e na felicidade,
    trazedo junto Saint-Exupèry,
    Mestre!
    Chegue sempre mais cedo!

    ResponderExcluir