Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

26 de julho de 2010

Poemas de Maurício de Macedo

Kaváfis

Maurício de Macedo

Helênica sensualidade pagã,
abriga do poeta o desterrado coração
que é pequena e pobre a amargura cristã
para a vibração da carne viril
fazendo-se verbo e canção.


Repentista

Maurício de Macedo

De repente,de repente.
O metro e a rima,de repente
- tudo está no ouvido.
Tudo está no diálogo da natureza
no ouvido
e não há espaço para o silêncio do homem
falando consigo mesmo.

A palavra pela cauda
- cavaleiro pegando boi brabo.
E a rima como os cascos do cavalo
percutindo no peito da terra.
De repente,de repente,
a natureza a pulsar
no diálogo dos ouvidos,
antes da queda do homem.

Alagoano de Maceió, onde reside, Maurício de Macedo publicou os seguintes livros de poesia: Cinzel da Língua (1996), Sínteses da Sombra (1997), Aventuras da Negra Fulô (1998), Esfinge Caeté (1999), Onde a vida fere mais fundo (1999), A palavra feito brasa (2000), Canção dos Orixás (2001), A poesia no cordão seguido de Pastoril (2002), A ostra e a pérola (2003), Das Alagoas seguido de Guerreiro (2003), Tear da palavra (2004), Escorial do Açúcar (2004), À Beira do Silêncio (2005), A água e a pedra (2005), Epifania (2006), À sombra das palavras (2006), Fragmento (2007) e Dispnéia (2008)

12 comentários:

  1. Bom dia Iremar!
    Gostei muito desta parte:
    "não há espaço para o silêncio do homem
    falando consigo mesmo."

    Achei profundo demais.

    ResponderExcluir
  2. Iremar,

    Gostei de ambos os poemas! Fortes!

    Abração,
    Adriano Nunes.

    ResponderExcluir
  3. Amiga, bom dia!
    Emociona-me a poesia de Maurício de Macedo,
    como a você emocionam os belos versos citados,
    do poema "Repentista".
    Sou grato por suas visitas e comentários.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Adriano,
    Agradeço por seu comentário
    e pelo reconhecimento
    à bela poesia de Maurício de Macedo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Iremar! Belos poemas que você, gentilmente, nos oferece, divulgando nomes importantes com seu belo trabalho aqui no blog1 Abraços ;)

    ResponderExcluir
  6. Michelle!
    Sou muitíssimo grato por suas visitas
    e por seus comentários apreciando
    os poemas deste Bestiário.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia Iremar!

    Estou de casa nova, conto com sua presença.
    Axé!

    http://mais-um-cafe.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Pelo pouco que eu conheço da obra de Konstantínos Kafávis, posso dizer que o poeta aqui apresentado soube sim bem descrever a sua grandeza.

    O repentista é para mim uma realidade distante, porém sei que faz do repentino algo que dura muito, com a força de sua alma condensada e rimada.

    Belo blogue, cheio de poemas e de vida.

    Boa noite, senhor Alagoano!

    ResponderExcluir
  9. Vim correndo agradecer tua visita luz no meu espaço.
    Tua presença é indispensavel à mim.
    Gostou de Adelia Prado?
    Assistiu?
    bjos

    ResponderExcluir
  10. Perah Hadarom,
    Boa noite!
    Fico contente por sua avaliação
    da poesia de Maurício de Macedo
    e do Bestiário Alagoano.

    ResponderExcluir
  11. Fez se verbo e canção na escrita de um repentista.
    Jefhcardoso do
    http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir