Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

25 de maio de 2010

Poema para Cícero Melo

A Idade da Carne

Paulo Gustavo

Nunca tivemos nem teremos a idade do ouro.
O que temos é a idade da carne.
Pouco importa chamarmos as estrelas,
A constelação preferida, a luz remota,
Os adjetivos do cosmos.
Nossa gramática é a carne: suas pirâmides, seus desvãos,
Seus súbitos pontos finais.
Nunca teremos ouro no cofre sangrento do coração.
Nosso reino é a carne, nosso governo é a carne,
Nossa miragem é a carne, mais esplêndida
que o ouro dos séculos,
Mais florida que os jardins do Éden.
É só o que temos: a efêmera idade da carne.
É nela que atravessamos a floresta da vida
Até a clareira de nossa morte.

9 comentários:

  1. Caro blogueiro,


    A campanha de vacinação contra Influenza H1N1 foi prorrogada até 2 de junho. Gestantes, doentes crônicos, adultos de 20 a 39 anos e agora crianças de 6 meses a 5 anos devem se imunizar. A vacina contra o vírus que já matou mais de 2 mil brasileiros, está disponível nos postos de saúde pública de todo o Brasil. Ela foi testada, é segura e mais de 300 milhões de pessoas já foram imunizadas com esta vacina no Hemisfério Norte.

    Por isso, é muito importante contar com a sua colaboração! Você pode ajudar por meio de materiais que disponibilizamos especialmente para blogs.

    Para mais informações sobre como se tornar um parceiro, escreva para fernanda.scavacini@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  2. É meu caro, o que temos é a idade da carne, e creio, vamos derreter, como ouro, para depois sermos transformados...Vamos atravessar as florestas e chegar a clareira, da vida, e da morte.
    Boa noite e obrigada pelo carinho.
    É um lisonjo pra mim ter companhias tão ilustres como tu.

    ResponderExcluir
  3. "Nunca teremos ouro no cofre sangrento do coração."

    Almejamos o ouro e nem damos conta do que vivemos e nem de quem somos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Sylvia Rosa e Paula Laranjeira,
    Sou muitíssimo grato por suas visitas e apreciações ao poema de Paulo Gustavo
    para Cícero Melo.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. OI IREMAR,

    ficaria muito honrado aso você viesse a visitar meu blog de humor :

    "HUMOR EM TEXTO".

    Minha intenção neste blog e resgatar o que já foi a "alma carioca".

    Sinceramente, gostaria de ter sua opinião profissonal sobre nossa intenção.

    Um abração carioca e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  6. Perdoe a falha na digitação : leia-se CASO e não "aso" (rs).

    ResponderExcluir
  7. Olá, Paulo, gosto muito do seu blog, com textos, fotos e ilustrações insólitos, provcativos e divertidos!

    ResponderExcluir
  8. Caro Iremar,

    Venho para deixar registrado meu elogio ao seu blog, é de muito bom gosto. Aproveito para agradecer por ser seguidor do meu.

    Um grande abraço!

    Saudações recifenses,

    Juliana Mangabeira

    http://moscasnacasa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Cara Juliana,
    Sou grato por suas visita e apreciação deste Bestiário.
    Gosto muito do que você escreve no seu blog.
    Abraços

    ResponderExcluir