Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

17 de janeiro de 2018

Meus poemas


Rosas amanhecem vermelhas


Iremar Marinho


Lanço este manifesto
Do partido dentro

Manifesto meu partido
Comunista neste pranto

Não há mais o que falar de mim
Nem da carne
Nem dos ossos
Nem do sangue

Não há mais o que esperar aqui
Nem mais rumo
Nem mais rota
Nenhum horizonte

Já nasci diante
Sou menos valia
Já morri bem antes



Martelo abstrato


Iremar Marinho


Trabalhar a poesia
Operar palavras

Martelar a pedra
O aço
Ferir-se com estilhaços

Martelar a poesia
Aparar palavras                                                                                             

Quebrar postigos
Vidraças
Abrir janelas do nada



Nenhum comentário:

Postar um comentário