Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

22 de junho de 2012

Poema (quase) trovadoresco
com sotaque português



Otávio Cabral


Quisera poder abrandar-te
Podar essa imensa tristeza
Deitando marcas no corpo 
Somando fel à beleza


Não sei quantas vezes adeus
nem sei se ou quando ou talvez
insultaste-me a memória
sequestrando o corpo à fala


Só sei quão severo é o tempo
Senhora trançando as rendas
Tecendo as malhas do corpo
Com as penas vossas apenas

Nenhum comentário:

Postar um comentário