Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

7 de agosto de 2010

Três poemas de Cicero Melo

A Canção do Afogado

Cicero Melo

Para Antônio Botelho


Filha das fontes,
Dos bosques,
Dos rios sagrados,
Que fazes transposta?

Este é lado das brumas,
Dos pântanos e do Estiges.
Que fazes ao meu lado?

Filha dos bosques,
Dos rios e das fontes,
Que fazes transposta
Ao meu lado?

Este é um lado sem bordas,
Sem sombra e sem corpo,
Um lúdico lago.

Filha dos rios,
Que fazes ao lado
Do afogado?


Os malares e as pálpebras

Cicero Melo


O que é realidade para um fauno?

Nós somos o nada sonhando.

Ergo a última taça

Aos olhos de pedra do suicida.


Estado de conservação

Cicero Melo


Bom.

Cara e lombada com manchas do tempo.

Danos nas bordas e nos bordos.

Corte com manchas:

Anotações à mão amada.

Marca de carimbo na folha de rosto.

Miolos em péssimo estado.

4 comentários:

  1. Gostamos das poesias!
    Aproveitamos pra informar que o Cordelirando está homenageando todos os Pais pelo seu dia, através de um cordel que Salete Maria fez para seu pai!
    Ah! Também estamos te seguindo, viu?
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Salete,
    Muito oportuno seu belo cordel "Meu Pai",
    uma homenagem a todos os pais.
    Parabéns pelo seu riquíssimo blog.

    ResponderExcluir
  3. Hola, paso a visitar su maravillo bloog, he disfrutado la lectura, seguire muy de cerca visitandole.
    saludos.

    ResponderExcluir
  4. "atlantida,
    reino perdido,
    de oro y plata
    misteriosa ciudad "
    (da Música de Rita Lee e Roberto de Carvalho).
    Gracias por tu visita y tu comentario.
    Estoy visitando su belíssimo blog.
    Saludos

    ResponderExcluir