Loading...

Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

19 de setembro de 2009

Meus poemas - No Mar de Cuba

Iremar Marinho

Para Freitas Neto, jornalista alagoano solidário, morto em acidente aéreo

Restos do naufrágio
são rosas partidas nas ondas,
grinaldas dos afogados
no líquido túmulo
dos sonhos afogados,
da vida arrebatada.

Que barco fantasma pode salvar
a náufraga solidariedade,
o vôo interceptado?

Que ilha posso alcançar,
como gaivota ferida?

Só um cachorro do mar
vela os líquidos túmulos no Caribe,
com vagidos uivos latidos.
Sou eu só.

(18/7/97)

3 comentários:

  1. Estava pesquisando sobre a vida de Freitas Neto e encontrei um belo poema no link abaixo

    http://iremarpoeta.zip.net/arch2009-06-28_2009-07-04.html

    Parabéns Iremar ,você realmente é um gênio da arte literária!Muito linda a homenagem ao Freitas, nor versos do Mar de Cuba.

    Mário Augusto

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, amigo Mário Augusto,
    Parabéns por sua pesquisa sobre
    o nosso grandalhão Freitinhas,
    que tanta falta faz no mundo
    político-profissional
    cada vez mais corrompido.

    ResponderExcluir
  3. Hola Iremar, he venido a leer el poema y quiero decirte que no conocía a Freitas Neto, ya que lo mencionas intentaré leer algo sobre su vida.
    Mis felicitaciones por esa poesía marinera. Saludos

    ResponderExcluir